RÁDIO CARLOS PITTY

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

CRÔNICA: CARRO DE BOI, TREM DA VIDA

CARRO DE BOI, TREM DA VIDA
Por: Carlos Pitty *Direitos Reservados

Outro dia, recebi um email muito especial que falava que nossa vida se resume a um trem. Como na vida, vivemos dia a dia, meses, anos, conhecemos pessoas, lugares e situações. Viajamos de vagões em vagões, ora em vagão simples, ora em vagão de luxo, mas sempre à frente, tendo algum rumo e grandes surpresas. Acabamos fazendo parte de muitas coisas, muitas vidas, aprendendo e por fim, temos lá na frente a única certeza: nossa parada. Assim é o trem, assim é a nossa vida. Como sempre falo do sertanejo, suas raízes, sua cultura, seus lugares e sua música, quero então comparar o trem da vida ao carro de boi. No carro de boi, que para muitos e em alguns lugares como na minha região de nascimento por exemplo, no interior do Paraná, chamam de “Carroça”, ou seja; independente do nome dado à esse veiculo puxado pelos bois, é possível escrever poesias, poemas e músicas, detalhando sempre os lugares, as pessoas e o som por ele produzido. “Lá vai o carro de boi, berrando, carga e boiada e guiando vai o peão, fazendo fumaça de poeira na estrada.” Trecho da poesia “Carro de boi” (na íntegra no blog www.carlospitty.blogspot.com), que cita a vida do sertanejo no campo. Na vida do campo apreciam-se as belezas, a mata queimada, o verde ainda restante, as taperas, o plantio, as colheitas, a natureza bela com seus pássaros que cantam e até mesmo os romances e os amores que se rimam em paixões e sertões. E pelo carro de boi, se viaja na imaginação do caipira, que até tem tempo, mesmo com a exigente lida braçal, para compor maravilhosas letras e melodias que passam pelo tempo jamais esquecidas. Oh que saudades de minha terra e da cabocla amada. O tempo vai passando, o trem segue o rumo e o carro de boi nos faz viajar sentindo saudades, apreciando as belezas atuais, os novos horizontes, os novos caipiras, que muitos chamam de sertanejos modernos e poetas com canções inesquecíveis ou ainda com letras poéticas apenas comerciais e impossíveis de serem lembradas mais tarde. Enfim, na carona com o carro de boi, viajamos apreciando a natureza bela com lindas poesias, como também a mata queimada resumida em canções que conhecemos, mas não lembraremos já na próxima parada. Como é bom viajar no tempo, viajar no carro de boi. Pela estrada da vida e do campo, vamos conhecendo novas belezas, sentindo tristezas, lembrando de temas caipiras inesquecíveis, convivendo com eco e o romantismo dos canarinhos atuais, e as vidas vividas nos rincões de meu Deus. Cabe a cada um apreciar o que tem de melhor em cada parada, em cada estrada, viajada pelo caipira que segue no carro de boi...


FOTO: J. BORGES http://aldoadv.files.wordpress.com/2007/01/carro-de-boi.jpg