RÁDIO CARLOS PITTY

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

POEISA - JANELA LATERAL


JANELA LATERAL
(Carlos Pitty) * Direitos reservados

Pela janela o dia amanhece
Os raios do sol penetram a vidraça
A cortina balança com o soprar do vento
Vagarosamente se refresca a sala
Pela janela lateral se vê flores coloridas da primavera
Escuta-se mansamente o cantar do canarinho
O “bom dia” do vizinho
Ao longe vem o som do riacho
A natureza é contemplada pela janela lateral
O medo se limita as grades
Seguro fica o olhar direcionado a montanha
Acima dela, nuvens, gaivotas e céu azul
Pela janela a imaginação espalha
O jardineiro flui em felicidade
Pelas ruas pessoas vão e vem
Nada fica preso
O quarto de dormir fica belo
O espaço embeleza alma
Tudo se acalma no olhar pela janela
Que rua é aquela?
Tudo se vê por ela
O nobre jornaleiro
O carteiro fiel
A intriga do cachorro
O “olá” da bela menina além da cerca
A pureza da beleza
A dúvida e a certeza
O passar da paixão
O convencimento da razão
A crueldade da mentira
O rebolar do ciúme
E o swing insaciável do amor
Pela janela lateral sente-se a paz
Buscam-se respostas no pontar do horizonte
Apagam-se mágoas
Olham-se estrelas
Vive-se em sonhos
Realizados em liberdade
Em esperança
Sendo criança
De tudo um pouco
Quase nada
Imagina-se um mundo todo
Na simples janela lateral


FOTO: http://enosilenciodanoite.blogs.sapo.pt/arquivo/vista%20da%20janela.jpg
Direitos do autor.